Nova modalidade de financiamento imobiliário

29/08/2019

O mercado imobiliário ficou animado com a nova modalidade no financiamento de imóveis pelo agente financeiro. A Caixa Econômica Federal divulgou uma nova modalidade para quem deseja comprar seu imóvel. Essa nova modalidade ficará vinculada à inflação oficial. Essa é mais uma opção para população escolher, ou seja, optar por financiamento com taxas de juros menores com correção pela inflação, ou pela modalidade de taxas de juros pré-fixadas.

A primeira modalidade ficará entre 2,95% a 4,95 a.a., de acordo com o IPCA, para imóveis residenciais no sistema SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e SFI (Sistema Financeiro Imobiliário). Essas taxas são para os novos contratos.

A segunda com taxas de juros pré-fixadas que variam de acordo com o relacionamento do cliente com o agente financeiro, variando entre 7,5% a 9,5% a.a., com correção pela TR.

Para decidir qual a melhor modalidade de financiamento habitacional, a pessoa terá que analisar bem o aspecto inflacionário no País, pois se houver aumento da inflação no futuro, então será melhor financiar com taxas pré-fixadas, caso contrário, a melhor opção será com taxas pós-fixada.

O interessante é que com mais opções para o financiamento imobiliário o mercado irá começar a aquecer, gerando milhares de empregos diretos e indiretos. A construção civil tem um peso significativo na nossa economia, representa em torno de 16% do PIB brasileiro.

Outros bancos irão reduzir juros.

O Banco do Brasil publicou que irá baixar suas taxas de juros, de acordo com o prazo da operação, menor o prazo, menor as taxas.

No Itaú os clientes já encontram taxas a partir de 8,1%, dependendo do relacionamento do cliente com o banco, com seu perfil e com o imóvel desejado.

O Santander anunciou redução da taxa de juros para o crédito imobiliário, antes era 8,99%, agora está em 7,99% ao ano. Para a linha pró-cotista os imóveis entre R$ 90 mil e R$ 500 mil a taxa mínima é de 7,95% ao ano, e a máxima, de 9% mais TR; podendo ser financiado 80% do valor do imóvel pretendido.

Já o banco Bradesco está analisando taxas atrativas para anunciar brevemente aos seus clientes.