>>>Multipropriedade do imóvel

01/05/2019

O mercado imobiliário vem ao longo do tempo apresentando inovações para melhor atender a sociedade, e isso é de grande valia. Projetos arquitetônicos, infraestrutura, tecnologia, prazo e forma de pagamento estão cada vez mais abrindo novos horizontes.

Muitas pessoas têm vontade ou necessidade de adquirir um bem imóvel, seja para moradia, lazer ou para trabalho. Geralmente os valores para aquisição são elevados, desencorajando muitos na compra do sonhado bem.

Em 2018 foi sancionada a Lei do Condomínio em Multipropriedade. É mais uma novidade no mercado imobiliário, e tenho certeza que milhares de pessoas ainda não ouviram falar.

Essa nova forma de aquisição imobiliária consiste na compra da fração do imóvel, onde cada proprietário tem o direito de usufruir, gozar e dispor do bem, seja ele comercial, para lazer ou trabalho. Podemos definir multipropriedade como sendo uma situação jurídica peculiar, onde distintos proprietários de um imóvel têm, sobre o mesmo, o direito de fruição somente por um tempo específico, período esse estabelecido quando de sua aquisição, composto por semanas, quinzenas e até meses.

Como se trata de uma nova legislação e que necessita de adaptação, os cartórios estão sendo orientados sobre os métodos e formas nos procedimentos para realizarem os atos juridicamente seguros, e isso levará algum tempo para que todos fiquem aptos na prestação dos serviços para população.

Esta modalidade de aquisição, a Time Sharing, foi criada nos Estados Unidos, nos anos 60, mas só agora chegou ao Brasil. Aliás, no Brasil já houve alguns produtos lançados no mercado, porém, a maioria das pessoas temia pela compra porque não havia uma legislação específica que tratasse do assunto.

Agora é aguardar e sentir como o mercado imobiliário brasileiro irá reagir. Eu, Isaac Pereira, gestor imobiliário, digo: "TEM TUDO PARA DAR CERTO".