A profissão

27/03/2019

O mercado imobiliário se mostra cada vez mais competitivo e agressivo; o cidadão comum não se encontra devidamente habilitado a adentrar nele sem o respaldo de um profissional, o corretor de imóveis. O perfil do mercado imobiliário de cada região apresenta condições e nuances que lhe são peculiares, exigindo constante atualização do profissional e acompanhamento de suas variações, como também, conhecimentos envolvendo Direito Imobiliário, Matemática Financeira, Engenharia, Arquitetura, Topografia, Informática, dentre outras disciplinas. Se essas noções sempre auxiliaram o corretor a prestar boa assessoria a seus clientes nas intermediações imobiliárias, mais que necessárias se fazem atualmente, após a entrada em vigência do novo Código Civil, em janeiro de 2003.

No mundo atual, em que as informações viajam tão rápido quanto a velocidade da luz, a função do corretor de imóveis se mostra cada vez mais indispensável. Certamente poderá ter dificuldades e dissabores aquele que, sem o devido auxílio profissional de um corretor de imóveis, se enverede no mercado imobiliário. 

Diz-se isto não somente quanto aos aspectos jurídicos das transações, mas também no tocante ao risco dos respectivos negócios.Mas a importância da categoria não se ressalta somente em virtude da função social que desenvolve, mas também em razão de ser atividade com considerável participação na geração de empregos, anotado que o mercado de intermediação imobiliária, juntamente com o da construção civil, é responsável, aproximadamente, por 18% do Produto Interno Bruto brasileiro." Enfim, da mesma forma que é necessária a intervenção de um médico para o tratamento de uma doença, de um advogado para a defesa de nossos direitos, é necessária a intervenção de corretor para uma transação imobiliária segura, sem vícios, que garanta a regularidade do negócio.